Oi gente!

Esta semana passou muito rápida não é verdade?

E hoje eu quero compartilhar uma reflexão com vocês. Já faz um tempo que não falo sobre "comportamento" por aqui. Minha ultima inspiração foi o texto "Pratique o Desapego" se você não leu, depois veja aqui, vale a pena refletir a respeito e colocar em prática também. Experimente é libertador! ;)

Há algumas semanas em conversas com amigas, tenho ouvido histórias que me fizeram lembrar sobre "a sinceridade" das pessoas. Na verdade a minha vida inteira eu refleti a respeito e sempre observei as pessoas que falam e a reação de quem ouve. Mas especificamente sobre a "sinceridade" de pessoas que mal temos intimidade ou que podemos denominar "inconvenientes" ao nos falar.

Quantas vezes vi pessoas serem magoas assim, sem mais nem menos, por comparações que foram feitas, comentários totalmente desnecessários, amizades quebradas, magoas e tristezas implantadas por comentários mal falados.Quem não conhece uma "sincera" ou um "sincero" que fatalmente não tem a menor intimidade ou só porque frequenta um mesmo ambiente se sente na liberdade de dizer o que pensa, tendo sido consultado ou não.
Situações constrangedoras como:

Fabiana chega toda feliz com seu novo corte de cabelo e a "sincera" pronta pra estragar a alegria dela diz "nossa o que você fez nesse cabelo?" quebrando todo o encantamento de Fabiana.
Juliana se encontra com mais peso do que há 3 anos, ela já sabe disso, mas a "sincera" faz questão de reforçar pra ela "ta gordinha hein?".
Camila esta com uma barriguinha saliente, ela já sabe disso, mas a "sincera" chega e faz uma pergunta indiscreta "e essa barriga aí, é gravidez?".
Paula tem dificuldade em engravidar, a sincera sabe disso, mas ela alfineta "Paula, e aiii nada de bebe? esta demorando hein!!" aumentando ainda mais aflição de Paula.
Fernanda é uma jovem com poucos recursos e se veste de forma simples, muitas vezes a sua própria mãe é quem faz suas roupas, mas a "sincera" chega sem o menor tato e fala coisas que só fazem Fernanda se sentir menosprezada.

O casal de noivos Pedro e Vivian vão se casar, estão felizes pelas conquistas suadas e daí chega a "sincera" e pergunta "onde vocês vão morar?" o casal feliz indica e a "sincera" solta "nossa mais la? e porque não em tal lugar? muita mais bem localizado".

Hellooo sincera!! você não percebe o quanto a sua sinceridade não acrescenta ??? Sair por ai falando o que se pensa não é nada educado, não é nada gentil. Tão desagradável todas estas situações fictícias que citei acima, não é verdade? Quantas vezes eu a observar ouvi pessoas falando coisas tão indesejáveis de se ouvir e sempre me indignava, pessoas sem a menor empatia. Acredito que vocês já ouviram ou até já passaram por situações como estas.
E hoje eu estou aqui torcendo pra você "sincera" me ler, e eu te faço um convite a refletir um pouco sobre as verdades que anda dizendo por ai. Será que tem acrescentando algo? Será que tem edificado? ou só tem afastado as pessoas do seu convívio?

A sinceridade deve ser dita com bom senso, com cautela e para quem se tem intimidade, amizade, liberdade em dizer. Ninguém gosta de receber críticas, mas elas ditas da forma correta e construtiva ajudam e muito quem precisa ouvi-las.

Então cuidado com suas palavras, se não for pra edificar, não diga. Senão for para o bem, se cale. Tiago 1:19 já nos advertia "Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar".

Um ótimo fim de semana!

bj

Fe Cardoso